Projetos de transformação digital na mira de ameaças cibernéticas

  • 40% do PIB latino-americano estará digitalizado até 2021, mas as ameaças cibernéticas também se intensificarão.

  • Sem a gestão de riscos, as iniciativas de transformação digital serão isoladas e malsucedidas.

Em 2021, espera-se que pelo menos 40% do PIB da América Latina esteja digitalizado, de acordo com dados da IDC. Assim, todas as empresas que estão aderindo à transformação digital devem considerar as ameaças cibernéticas como um dos fatores de risco que podem afetar negativamente o sucesso deste processo. Em particular, os ataques à disponibilidade, mais conhecidos como DDoS, podem ter um impacto significativo em termos de finanças, imagem e assim por diante.
Victor Gonzalez, gerente de contas corporativas da NETSCOUT Arbor, ressaltou que a segurança deve ser uma parte essencial dessa mudança, pois torna as empresas mais vulneráveis a qualquer tipo de ataque que comprometa a integridade, a confidencialidade e a disponibilidade de informações. As organizações devem evitar os perigos associados à transformação digital. No caso do México, existem vários cenários de adoção na área da transformação digital: de acordo com a IDC, 33% são “exploradores” e já estão conduzindo esse tipo de projeto, de forma descoordenada e em nível departamental; enquanto isso, 23% já levam a transformação digital para toda a corporação, mas ainda não conseguem uma experiência digital uniforme, o que faz os riscos cibernéticos aumentarem. É fundamental que as organizações levem em conta que, sem o gerenciamento de riscos, as iniciativas de transformação digital serão isoladas e malsucedidas.
Sem processos implementados, as iniciativas de transformação digital serão um desastre na implementação e lançamento. Sem as orientações do alto escalão (envolvimento nas estratégias de TIC e na segurança da informação) continuarão a ser questões operacionais sem importância. Assim, uma empresa que está passando pela transformação digital pode sofrer com a falta de privacidade de dados; com a retenção de conhecimento de especialistas/terceiros; com a resistência à mudança; com a falta de análise de Big Data e a não conformidade da TI.
Uma nova atualização do Guia Semestral de Despesas de Transformação Global da IDC estimou que, em 2021, os gastos com transformação digital quase duplicarão, ultrapassando US$ 2,1 trilhões. Espera-se também que isso tenha impacto no investimento global em segurança até 2020, que será próximo de US$ 100 bilhões; os serviços de segurança crescerão 16,8%, o dobro da taxa de crescimento do segmento de serviços de TI.
“Observamos que a segurança da informação está alocada em cerca de 40% do orçamento total de TI. Há alguns anos, em algumas indústrias, o orçamento era inferior a 30%; esperamos um crescimento de pelo menos 10% nos próximos anos, devido à maturidade do mercado”, afirmou o gerente.

Por fim, Victor Gonzalez acredita que os funcionários que estão diante da transformação digital enfrentam uma série de desafios importantes, que vão desde discernir entre as muitas tendências de mercado e ofertas que devem ser adotadas, até o momento certo para fazê-lo, a formação contínua de pessoal e, especialmente, a geração de valor para a organização.