Um balanço dos ataques DDoS ao Brasil no primeiro semestre deste ano

Kleber Carriello

Senior Consulting Engineer

No primeiro semestre de 2018 verificaram-se no Brasil as seguintes tendências:

  • Crescimento no volume, em BPS, de ataques originados no Brasil;

  • Os ataques ao setor financeiro continuaram como tendência;

  • Cresceram os ataques ao setor de pequenas e médias empresas de telecom;

  • Aumentou o volume em pacotes por segundo;

  • Aumentou a frequência de ataques a portas aleatórias de destino.

No primeiro semestre de 2018, manteve-se a tendência de alta para ataques de alta volumetria PPS observada durante o final do ano de 2017. Outros pontos marcantes foram o aumento da atividade de botnets, com grande quantidade de máquinas invadidas no Brasil; e o fato de que o crescente aumento da banda oferecida ao usuário final trouxe, como consequência, o aumento do volume de ataques originados no próprio país.

Os setores mais afetados foram o financeiro e o de pequenos e médios provedores de acesso, este último com características de ataques ajustadas para causar mais danos e maior dificuldade de bloqueio – o que ressalta o esforço dos criminosos no sentido de prejudicar o setor. Os pequenos e médios provedores de acesso têm sofrido nos últimos meses com atividades de sequestro DDoS, ação em que o criminoso pede resgate financeiro para descontinuar o ataque.

A segunda metade de 2018 será marcada por eleições importantes. A grande polarização política do País pode trazer de volta ataques de protesto, destinados principalmente ao setor financeiro e ao governo. Este ano, porém, os criminosos terão em suas mãos técnicas poderosas, como bots de IoT e memcached, além de uma maior banda para geração de ataques, inclusive originados no Brasil.